quinta-feira, 29 de março de 2012

RADIOTERAPIA


 



 foto: Corporación Oncológica Mexicana Americana

Certa vez escutei assim de uma amiga: não se preocupe com a rádio, se você fez quimio você atravessou um parque cheio de onças te vigiando, a rádio é como se no mesmo parque houvessem zebras no lugar das onças... Realmente a radioterapia aparentemente é menos sofrida que a quimio, mas esconde riscos talvez maiores.

Todos sabemos que apanha mais aquele que se mostra mais, logo a quimio, que faz com que visualmente se perceba sua intervenção, tem a fama de mau! Claro que quimioterapia é muito difícil, porém a rádio para mim, tem requintes de crueldade! Rs....

Você já teve curiosidade de procurar no sabe tudo da internet sobre rádio? Pois bem, as informações são meio que unânimes e escassas. Até para nós que passamos pelo tratamento não temos como falar muito sobre ele, até pela dificuldade de se entender sobre física. Quando o médico vai te explicar o tratamento você realmente fica estacionado no “centigraces”, que é a medida que determina quantas aplicações serão realizadas.


Depois de começar a caminhar nesse parque descobre-se que existem vários tipos de zebras na radioterapia, pois tem a radio por fótons, radio por elétrons e graças a Deus ainda não descobrimos as outras três existentes... rs....  A mais usual é a radioterapia por fótons e ela provoca uma queimadura na pele como se fosse uma super exposição aos raios solares por volta do meio dia.



O que não se fala muito é que, podem ocorrer problemas em decorrência do tratamento radioterápico tal qual na quimioterapia, pois todo o sistema incluindo a imunidade é afetado. A diferença é que a radio é um tratamento localizado e não sistêmico como a quimio, mas que da mesma maneira não consegue diferenciar as células doentes das sadias, e por isso em decorrência dela pode-se haver queda de cabelo (se o tratamento for na cabeça, por exemplo), fibrose pulmonar, problemas cardíacos, fraqueza, perda de apetite, infecções de garganta, sem mencionar a queimadura que mesmo em alguns casos havendo a necessidade de raspagem, não é permitido sua realização.  

A parte que consideramos surreal é como algo que não podemos ver, pode ser tão forte e persistente, pois para quem ainda não sabe a radio fica agindo no corpo do paciente após o final do tratamento por cerca de dois meses, como se estivesse sendo aplicada todos os dias.

Mas não é preciso entrar em pânico, a medicina tem avançado e neste campo as inovações tendem a trazer um maior conforto e uma maior segurança quanto a seqüelas a longo prazo.  Na indústria farmacêutica, novos hidratantes estão sendo desenvolvidos, e deve-se abusar deles, além da dica universal que aqui também se faz importante de beber muita água!

E nos resta assim como na quimio, agradecer a existência da radio, uma vez que é parte da tentativa de se obter a cura e manter a vida!

                                                               foto: Corporación Oncológica Mexicana Americana

9 comentários:

  1. Meninas,

    Rapidamente, fótons são partículas de luz (sim, a luz tb se comporta como massa. Daí o princípio da dualidade da luz, que também é uma onda eletromagnética). Como se está fazendo um tratamento com raios fotônicos, é mais ou menos isso mesmo: uma alta incidência de luz na hora do almoço! Daí as queimaduras de pele. E, como também é uma onda eletromagnética, altera o funcionamento de algumas células. Daí o efeito de apliacação contínua.

    A explicação sobre ondulatória na Wikipedia está bem bacana e fácil de entender:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Ondulat%C3%B3ria

    Dúvidas, podem perguntar! Hehehehe!

    Abraços e parabéns, meninas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. Essa está mais legal:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Onda_eletromagn%C3%A9tica

    ResponderExcluir
  3. Obrigada Gustavo, sua explicação está ótima e fácil de entendimento... Confesso que essa parte dá nó no meu cérebro! Vou dar uma olhada no artigo! beijos!

    Lud

    ResponderExcluir
  4. Eu vendo o Creme Biafine.
    Peco licença para divulgar . Dê um gosto na pagina e um partilhar. É um ato de amor e solidariedade para fazer as pessoas conhecerem o produto.
    Creme para proteção das queimaduras do doloroso processo da radioterapia. Queimaduras de 1 a 3 graus sejam solares ( o creme não tem protetor solar) ou queimaduras de coisas quentes. Pos depilação e tatuagens. Embelezamento das maos, pés. Reconstrução de partes extremamente ressecadas.
    Me contatem:
    E-mail:irlemr@hotmail.com
    WhatssApp:00351961436711
    Blog:cremebiafinebrasil.blogspot.pt

    https://www.facebook.com/Biafine-Brasil-Creme-proteção-radioterapia-1561054340810427/

    ResponderExcluir
  5. Irlem, fiz 25 sessões de radioterapia e como tenho amigos franceses eles me mandaram para que usasse. Só que tive uma pequena irritação na radio e me deram para passar um creme que usam nestes casos. Tive uma terrível reação alérgica que não pude usar mais nenhum creme que me queimava a pele.Compressas de agua era só o que acalmava a pele nem o biafine eu suportava. Só depois que terminei a radio é que minha pele está suportando cremes. Nunca fui alérgica a nenhum medicamento, talvez pelo efeito da radio tenha acontecido. Estou fazendo só uma advertência que pode acontecer mesmo usando o Biafine.O nome do creme que me indicaram é Betnovate creme indicado em radioterapia por conter corticoide.Se surpreenderam por ter tido uma reação alérgica violenta que coçava o corpo tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heloiza, boa tarde. Qual o creme que lhe deu alergia?

      Excluir
  6. Olá. Precisa da ajuda de alguém. Estou c minha vizinha c câncer no reto. Esta fazendo rádio por baixo. Deu queimaduras terríveis na regiãogenital. As pomadas não adiantam. Mela mais. O que posso fazer? Será melhor algo em spray? O que me indicam? Obrigada. Meu e-mail é
    jullyeeu@hotmail.com

    ResponderExcluir