quinta-feira, 26 de julho de 2012

ATITUDE!!!





Uma mulher acordou em uma manhã após a quimioterapia, olhou no espelho e percebeu que tinha somente três fios de cabelo na cabeça.
- Bom (disse ela) acho que vou trançar meus cabelos hoje!
Assim ela fez e teve um dia maravilhoso.

No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho a viu que tinha somente dois fios de cabelo na cabeça.
-Bem (ela disse), acho que vou repartir meu cabelo no meio hoje!
Assim ela fez e teve um dia magnifico.

No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e viu que tinha apenas um fio de cabelo na cabeça.
- Hummm(ela disse), acho que vou amarrar meu cabelo com um rabo de galo!
Assim ela fez e teve um dia muito divertido.

No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e viu que não tinha mais nenhum fio de cabelo na cabeça.
-Yeeeessss... (ela exclamou), hoje não tenho que pentear meu cabelo!!!






Moral da historia: os problemas são do tamanho que os vemos...

terça-feira, 24 de julho de 2012

HERCEPTIN


A BOA NOTÍCIA DA SEMANA!!!


Temos uma excelente notícia sendo vinculada essa semana por todos os meios de comunicação! Sim! Agora o Herceptin será distribuído pelo SUS!

O Transtazumab (Herceptin) é um anticorpo monoclonal recombinante contra HER2, é hoje a mais eficiente arma no combate ao câncer de mama, agindo sobre as células doentes e preservando as sadias, uma vez que seu alvo é justamente essa mutação genética que leva a combinação com o HER2, que geralmente são os tumores mais agressivos.
Conhecido nos ambulatórios como ‘a vacina’, o Herceptin é o sétimo medicamento mais demandado judicialmente ao Ministério da Saúde, pois seu alto custo (cerca de R$7 mil) não o incluía ao SUS. Os bons ventos dizem que após a publicação no diário oficial, serão mais 180 dias e o medicamento já será distribuído na rede pública!(Diferentemente de hoje em dia que o processo chega a levar 10 meses).

O Herceptin na maioria das mulheres não causa reações desconfortáveis, porém pode sim ocasionar algumas reações, principalmente no coração. Nada que um ecocardiograma não resolva a tempo! rs....

sábado, 21 de julho de 2012

NA HORA DO SEXO!


70% das mulheres que tiveram Câncer de Mama enfrentam problemas na hora do sexo

Caaaaaaaaaara 70%... Você tem a dimensão disso? É muita gente! E é por isso que a oncologia é uma das áreas que mais tem avaliado a qualidade de vida de suas pacientes, pois os tratamentos, por vezes agressivos, apesar de acrescentarem “anos à vida”, não acrescentam “vida aos anos”!...

Há muita desinformação entre as pacientes sobre as consequências do tratamento do câncer de mama, tanto na área da sexualidade como nos cuidados de um modo geral. A sexualidade não está no currículo das escolas de saúde. Logo, o assunto dificilmente é abordado pelos profissionais. Eles sabem tudo sobre as técnicas do tratamento, mas e depois que a paciente vai para casa?

Em um primeiro momento, um diagnóstico como o do câncer de mama certamente causa um efeito devastador na vida de uma mulher. O medo de morrer é a questão principal, e a busca pelo tratamento adequado e pela cura é uma constante. Depois vem o estigma segundo o qual ela, se sobreviver, se tornará menos feminina e atraente para seu parceiro ou não será capaz de ter a mesma vida sexual que tinha antes da doença.

A mastectomia remove, parcial ou totalmente, uma das mais importantes zonas erógenas do corpo da mulher. As mamas são a parte do corpo que nos define como mulher. Isso faz parte da cultura; assim fomos criadas. O primeiro sutiã, um rito típico da adolescência, é um bom exemplo.

A insegurança sobre como o parceiro vai reagir afeta o psicológico da mulher, e acaba diminuindo a qualidade do sexo. Além disso, remédios específicos para câncer de mama podem ter como efeito colateral, sintomas relacionados à menopausa, como ondas de calor, suor noturno, o que causa problemas para a vida sexual.  

Aos poucos e, sobretudo, após a fase aguda do tratamento, há uma tendência a se retornar à qualidade de vida de antes do diagnóstico, ou mesmo a ocorrerem mudanças positivas na qualidade de vida, com oportunidade de crescimento pessoal. O enfrentamento da doença leva, na maioria dos casos, a um maior sentido na vida e à reestruturação de prioridades.

De acordo com o estudo, a maioria das mulheres pode voltar a ter uma vida sexual satisfatória. O primeiro passo é procurar ajuda psicológica, que ajudará no processo de adaptação às novas características do corpo. Outras medidas como alimentação adequada, atividades físicas, cuidados médicos e principalmente ter planos para o futuro, mantêm a autoestima e melhoram a vida sexual.  


Bem, até então dissertamos tecnicamente sobre o assunto, nos baseamos em pesquisas científicas e dados médicos. Mas e ai? Vamos falar agora como sobreviventes...

É lóooooooogico que 70% das mulheres mastectomizadas tem problemas com o sexo, talvez por que 100% delas tenham sido mutiladas e não reconheçam mais o próprio corpo!

Eu me lembro perfeitamente do meu pós operatório, é pior que a primeira vez! Luz apagada, metade da roupa e a tarefa de compensar a falta do seio...

Caramba, não é qualquer coisa...É meu peito!... Que ostentei tanto tempo como destaque e por mais que tente (como não fiz reconstrução imediata, coloquei expansor para encher durante meses e mesmo com a reconstrução imediata o problema não é diferente!), eles não são mais simétricos.  Se isso me incomoda?Sim!

Mas uma coisa aprendi com toda essa história, a perceber que os homens, ao contrario do que mistificamos, atentam ao conteúdo não só a forma! E se mostram na maioria das vezes, compreensivos, solícitos e amorosos.

Quantas vezes escutamos casos de mulheres abandonadas pelos seus parceiros durante o tratamento?Então...Provavelmente porque as coisas já não iam bem ou porque ele realmente não foi homem o suficiente "para aguentar o tranco". Raciocinem comigo: A Cleopatra mesmo careca dominou o Egito, teve vários homens aos seus pés e é até hoje simbolo de sexualidade...

Com certeza ela sabia como compensar seus problemas...rs




sexta-feira, 20 de julho de 2012

FELIZ DO DIA DO AMIGO!!!



Amigos são peças essenciais para a nossa vida em especial pela fase que passamos... 
Amigos são amigo, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença...
Por toda eternidade!!!
FELIZ DIA DO AMIGO!!!

quinta-feira, 5 de julho de 2012

CONVERSA DE AMBULATÓRIO I







Chega a ser inacreditável que em pleno século XXI, ainda tenhamos que lidar com tantas formas de preconceito. E os motivos são os mesmos dos tempos imemoriais, falta de conhecimento de causa e medo daquilo que não se conhece!

Em um ambulatório escutamos muitas histórias, muitas experiências e muitas atrocidades também, desde erros médicos até descaso e abandono pelos familiares, quando o assunto é câncer. E eu olhando da minha perspectiva às vezes custo a compreender, pois na minha humilde opinião, somos vencedoras e devemos ter orgulho disso.

Mas em um dia desses de rotina fazendo minha abençoada medicação, um papo despretensioso me chamou muito a atenção e resolvi começar a colocar o dedo na ferida! Alguém aí acha realmente que estou condenada a morte porque tive câncer?

Uma coisa tem que ficar clara, após o tratamento a gente zera as estatísticas, então a chance de ter câncer de novo é o mesmo de alguém que nunca teve, pois para quem não sabe, todos nós temos células cancerígenas em nosso organismo, o que determina o desenvolvimento ou não da doença é o nosso sistema imunológico.

E esse sistema está diretamente ligado ao nosso emocional e é aí que o papo que tive no ambulatório me impressionou. Ouvi incrédula que tem pessoas que separam pratos e talheres de quem está em quimio... qual é a parte que eu perdi de que o câncer é contagioso?! rs....

Não pára por aí, ouvi também que tem companheiros que perguntam se em contato com a pessoa em tratamento também terá efeitos da quimio e da radio... Seria fenomenal se a gente pudesse dividir com aqueles que nos amam mesmo e estivessem dispostos a nos ajudar, dividir um pouco do mal estar e da angústia que o tratamento provoca. Mas infelizmente a dor do parto é só nossa! rs...

Medrosos seres humanos, quando vocês vão conseguir lidar com os seus fantasmas de frente? O câncer nos proporcionou a oportunidade de começar a entender o que é amor, e por isso é muito difícil aceitar certos tipos de preconceito...  E é por isso que a gente está aqui, para falar para quem está superando, para quem superou e para quem nunca passou por isso que viver é um ato de coragem!
            

terça-feira, 3 de julho de 2012

RADIOTERAPIA



CAMINHANDO NA SELVA!



Praticamente todo mundo que está nesta estrada tratando de um câncer passa pela radioterapia. E esse assunto parece até um tabu, pouco se fala, pouco se acha a respeito até mesmo no sabe tudo da internet.

Saímos do consultório com a indicação para a radio com a certeza de que o pior já deveria ter passado, ao menos é o que o médico diz pra gente, acho que para encorajar neh?! rs.... 

File:Marty-And-Alex-Madagascar-1.jpegA teoria é de que a radio é a parte mais tranqüila do tratamento, e em comparação já ouvimos que a quimio é o mesmo que atravessar uma selva cheia de leões famintos e que a radio a gente atravessa a mesma selva porém no lugar dos leões tem zebras! Inclusive já dissemos isso! rs...

Mas a história não é bem assim, a quimio é realmente uma vilã boazinha, que bate e mostra que está batendo, agora a radio é igual gato, que bate e esconde a pata! E muitas de suas reações a gente nem sabe que é conseqüência do tratamento.

Independente de onde ela será aplicada e dos efeitos que poderá causar, alguns cuidados são unânimes, como cuidar da pele, tomar muita água e etc...

A sua aplicação varia de caso a caso, mas no específico de mama, geralmente inicia 3 semanas após o término da quimio, e só então é que vamos receber as orientações para atravessar a tal selva. Por isso aqui fica uma dica importantíssima, comece a se lambuzar de hidratante. O que é preciso entender é que a radioterapia queima a pele como se você estivesse tomando sol ao meio dia, todavia ela queima de dentro para fora, então demora para se observar os estragos de sua ação.

E em se falando de queimaduras, o ideal é que se beba muita água, da mesma forma que estava orientado na quimio, lembra? O mínimo de dois litros por dia!

Então para minimizar os problemas aí vão algumas dicas:

- Beba muita água!
- Hidrate bem o local onde será aplicada a radio, como hidratante de preferência hipoalergênico; 
-  A hidratação deve começar com pelo menos um mês de antecedência e o ideal é que seja feita três vezes ao dia, tanto antes de iniciar ao tratamento, durante e pelo menos uns seis meses após o término;
- Não se esqueça de que dependendo do creme é obrigatório a sua retirada na hora da aplicação;
- Use durante o tratamento, compressas frias de chá de camomila, pois ela acalma a pele;
- Se proteja do sol, sim, é expressamente proibido tomar sol durante a radio e a proibição segue por pelo menos 90 dias, agora bronzeamento mesmo é melhor conversar com o médico quem não consegue viver sem, o que não é o meu caso!

- Evite roupas apertadas e desconfortáveis, afinal você estará lidando com uma queimadura;
- E cuide claro de sua alimentação, quanto mais se alimentar bem, mais seu organismo irá te agradecer;
- Em caso de problemas na garganta, sim ela pode inflamar caso receba irradiação, prefira alimentos mais líquidos, pastosos e gelados!



- Use e abuse do seu novo estilo, colocando lenços para proteger a área irradiada, chapéus e afins...




No nosso caso, ela trás junto alguns plus pois pela proximidade da mama de muitos órgãos vitais, exige-se um acompanhamento principalmente com o pneumologista e um cardio amigo do coração!

E se você acha que findo o tratamento os problemas se acabam instantaneamente, ledo engano, a radio fica agindo no seu corpo por pelo menos três meses como se estivesse sendo aplicada diariamente até perder a intensidade.

Mas se houver cuidados, essa selva se mostra com raios de sol iluminando a caminhada, e leões e zebras nos vêem com harmonia! Mas não esqueça de usar o chapéu já que colocamos na caminhada o sol!