sexta-feira, 17 de agosto de 2012

LINFEDEMA


Falando em Fisioterapia!!!




É fato que existe vida pós mastectomia! Mas sabemos que ela não será mais a mesma, principalmente porque você vai aprender a se amar e cuidar mais! E nesse aspecto um dos principais riscos que deve ser controlado é o linfedema.

 Após a mastectomia, a paciente poderá estar sujeita a desenvolver linfedema secundário no membro superior homolateral, estando associado ao comprometimento da circulação linfática. Isso significa que o seu braço pode inchar e você pode até chegar a perder os movimentos dele caso não siga algumas regrinhas de ouro da sua nova vida! rs...

Os casos de   linfedema não são raros em pacientes após o tratamento do câncer da mama. Esta morbidade é causada pela remoção dos linfonodos axilares, sucção do dreno e/ou radioterapia, provocando o comprometimento na via linfática.


O sistema linfático é uma rede complexa de órgãos linfóides, linfonodos, ductos linfáticos, tecidos linfáticos, capilares linfáticos e vasos linfáticos que produzem e transportam o fluido linfático (linfa) dos tecidos para o sistema circulatório. O sistema linfático é um importante componente do sistema imunológico, pois auxilia na proteção contra bactérias e vírus invasores. 

O linfedema pode ser definido como acúmulo anormal de líquidos e substâncias, especialmente proteínas, nos tecidos  devido à falhas na filtragem e drenagem linfática. O que acontece é que em qualquer situação de risco o organismo enviará suas defesas naturais para inibir uma possível infecção e em virtude do fraca drenagem no sistema linfático ele não consegue recolher essa linfa, causando o inchaço.
  


Por isso é recomendado seguir algumas orientações para se evitar um mal maior... que são:




- Evitar fazer movimentos vigorosos e repetidos com o braço que foi submetido à cirurgia 
- Evitar carregar objetos ou sacolas pesados ou arrastar móveis pesados. 
- Não carregar bolsas ou malas do lado do membro acometido. 
- Não usar roupas ou jóias apertadas no lado da cirurgia. 
- Cuidado ao manipular objetos cortantes. 
- Não tomar injeção ou retirar sangue do braço afetado. 
- Se ficar internada, não instalar acesso de soro no membro do lado da cirurgia. 
- Não retirar as cutículas quando fizer a unha, a retirada implica em uma porta de acesso aos microorganismos. 
- Evitar banhos muito quente. 
- Evitar saunas. 
- Banhos de banheira são permitidos desde que o braço fique para o lado de fora. 
- Proteger sempre o braço do sol. 
- Realizar exercícios supervisionados. 
- Sempre que possível repouse e eleve o membro acometido. 
- Manter o corpo hidratado. Ressecamento e rachaduras na pele são porta de entrada pra microorganismos. 
- Todos os dias, exercitar o braço abrindo e fechando a mão, de 15 a 25 repetições, uma vez durante o dia, tarde e noite.
- Evite longas viagens aéreas (sempre usar luva de compressão em aviões) e esportes que causem dor.
- Manter o seu peso ideal através de uma dieta bem balanceada. 
- Evitar fumar e ingerir álcool.
- Se cortar ou desenvolver uma infecção no braço no mesmo lado do seu câncer, procure o seu médico imediatamente para tomar antibióticos.

Nestes  casos a fisioterapia é nossa forte aliada. Quando realizada ativamente pela paciente sob a supervisão de um profissional especialista em oncologia, obtêm-se resultados significativos na reabilitação da amplitude dos movimentos e drenagem do edema. Portanto, quanto mais cedo darmos início, mais rápida será a resposta da paciente.

A auto-massagem linfática também deverá ser praticada, como objetivo de estimular as outras áreas de drenagem, aumentando as vias secundárias de drenagem linfática, pois nosso corpo é uma máquina perfeita e sendo assim encontrará maneiras de se reorganizar, para isso só precisa de nossa ajuda!

Nenhum comentário:

Postar um comentário