sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

COMIDA QUE CUIDA!






Para você que está em quimioterapia e não aguenta comer quase nada... Sabemos que essa é a pior fase... então resolvemos trazer algumas receitinhas para amenizar esse momento e tentar tornar a alimentação em um ato prazeroso! 

Hoje, escolhemos uma sopa de legumes, pois ela está cheia de nutrientes e ainda ajuda com um pouquinho de líquido! É leve e por ser mais líquida mais fácil de ingerir. Teste sua sensibilidade, pois tem épocas em que o quente não é muito fácil de ser engolido, mas que tal testar possibilidades? E quem disse que sopa tem que ser pegando fogo? Afinal moramos em um país tropical! rs....


SOPA DE LEGUMES

2 batatas médias
2 cenouras médias
2 mandioquinhas médias
1 chuchu médio
1 cebola média
2 dentes de alho
sal a gosto

Descasque todos os legumes e corte em cubos grandes. Coloque numa panela de pressão com os temperos e cubra com água. cozinhe por 15 minutos e, após bata tudo no liquidificador. Pode-se acrescentar carne  (moída ou em cubos) ou macarrão (cozinhe à parte e acrescente na sopa).

E pra adoçar a vida....


BRIGADEIRO DIET

1 receita de leite condensado diet
1 colher de margarina light
2 colheres de sopa de chocolate em pó diet

Misture os ingredientes numa panela e leve ao fogo por cerca de 10 minutos. Mexa até desgrudar da panela. Deixe na geladeira por 6 horas, enrole e passe no chocolate diet.

Bom apetite!


quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

O QUE A QT TAMBÉM PODE FAZER POR VOCÊ!




A quimioterapia reserva surpresas que a nossa criatividade não pode sequer imaginar! rs... No entanto, muitos desses sintomas passam despercebidos no meio da confusão de náuseas, vômitos e fraqueza! Afinal... quem odeia vomitar, coloque o dedo aqui.. que já vai fechar! rs...



Então, além de geralmente perdermos o paladar, o olfato também se altera, nos castigando com os aromas que antes nos eram tão prazerosos. A comida passa ser uma obrigação e em muitos casos um momento de muito estress.



Mas tudo isso é bem marcante, o que demoramos a perceber durante o tratamento é que algumas alterações podem ocorrer, como por exemplo, dificuldade para enxergar, para ouvir, para coordenar as ideias.


Outra alteração que ocorre e que nem sempre relacionamos com os quimioterápicos, até porque os médicos não nos dizem que isso pode ocorrer, é o que se chama de síndrome mão-pé.


A síndrome mão-pé, é um efeito colateral de alguns tipos de quimioterapia, que provoca vermelhidão, inchaço e dor nas palmas das mãos ou nas plantas dos pés. Embora menos comum, a síndrome mão-pé, também, pode ocorrer em outras áreas, como joelhos e cotovelos.

Os principais sintomas são vermelhidão, inchaço e sensação de formigamento ou queimação, se houver evolução e o quadro se agravar, pode ocorrer rachaduras ou descamação da pele, bolhas, úlceras ou feridas na pele, dor intensa e dificuldade para andar ou usar as mãos.


Todos concordamos, que o melhor remédio é prevenir e nesse caso depois de instalado o problema o ideal é evitar a fricção e o calor, que tornam os sintomas piores. E para isso, deve-se  limitar a exposição das mãos e dos pés à água quente aos lavar pratos ou tomar banho e estes devem ser frios ou mornos, evitar a exposição às fontes de calor, como saunas e sol,  bem como atividades que causam força desnecessária ou fricção nos pés, como corrida, ginástica aeróbica e caminhadas longas. Muito cuidado ao manusear produtos químicos utilizados em detergentes ou produtos de limpeza doméstica, evite o uso de luvas de borracha para limpeza com água quente assim como o uso de ferramentas ou utensílios domésticos que exigem pressão da mão contra uma superfície dura e áspera, como ferramentas de jardim, facas ou chaves de fenda.


Sempre avise seu médico de tudo o que acorre com você. Não é o caso de se assustar, mas saber que é normal pelo processo que se está passando, e que assim que os quimioterápicos forem suspensos tudo tende a voltar ao normal.









quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

ATRAVESSANDO O TURBILHÃO!






Qual é o seu hobby? A vida durante o tratamento parece ter um sabor meio ácido, de incertezas recorrentes que acabam levando nossas mentes a lugares não desejados!




Manter a mente ocupada e ter pensamentos otimistas são fundamentais para se alcançar um resultado positivo! E quem diz isso são os próprios médicos!


Já aconteceu, diagnosticado, câncer, tratamento, incertezas, dor, frustração... Aaaaaaahhhhhhhh! Largue todo esse arcabouço teórico que te leva a um papel horroroso de vítima e vamos encontrar coisas bacanas para fazer!


Você aprendeu a tricotar com a sua avó? Ta aí! Uma boa hora para você confeccionar um cachecol novo para usar no inverno! Rs... Trabalhos manuais ajudam a manter uma atividade motora, beneficiando sua cognição, mas principalmente sua mente... que tem que se manter ocupada contando todos aqueles pontinhos!



Gosta de música? Que tal começar a tocar algum instrumento? A música ajuda a acalmar... e quanto mais você se envolver com ela, mas ela te levará para um estado de espírito de pura vibração superior... claro que para isso você tem que escolher aquilo que te agrade a alma!



Assistir filmes também é um ótimo programa e se os enjôos tiverem diminuído, uma pipoca pode ser uma excelente companhia! Rs... Vá de comédias, pois afinal rir é sempre o melhor remédio! Deixe suspenses e terror para os momentos em que sua vida voltar a ser digamos, mais pacata, ou seja, logo que o turbilhão passar!


Cultivar um jardim é colocar um pedacinho da natureza dentro de casa! Não importa se você mora em apartamento ou casa. O lance é tentar cuidar de alguém! Se não gosta de plantas... hummmm, talvez você queira adotar um peludinho para te fazer companhia. Eles são ótimos amigos!


Independente da atividade que você escolha, tenha sempre um sorriso no rosto, no início pode parecer difícil e até estranho... mas a medida que você for se acostumando vai perceber que a alegria contagia... então lembre-se sempre que você é  responsável por seu próprio ambiente mental!

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

QUE TRATAMENTOS PODEM AFETAR A FERTILIDADE?


A infertilidade pode ser causada por qualquer um dos diferentes tratamentos oncológicos aplicados atualmente: Quimioterapia, Radioterapia ou Cirurgia.

1 - Quimioterapia


Quimioterapia atua sobre todas as células do corpo, destruindo tanto as células cancerígenas como as saudáveis que estão em processo de divisão. Entre estas se encontram os óvulos. Por isso, um dos potenciais efeitos colaterais destes tratamentos é a influência no sistema reprodutivo: basicamente, sua consequência seria a redução do número de óvulos, embora os riscos possam variar segundo cada tratamento.


2 - Radioterapia


 A radiação no útero e ovários pode causar a infertilidade ou, em muitos casos, a esterilidade permanente. Em algumas mulheres o retorno da menstruação pode aparecer meses ou anos depois de encerrar seu tratamento.










3 - Cirurgia

Em casos que se extriam os dois ovários (ooforectomia bilateral) não há possibilidades de manter a fertilidade, e se a extração é de um único ovário pode ser afetada em grandes proporções.Outro procedimento cirúrgico que pode afetar a fertilidade da mulher é da endometriose grave.




Perguntas mais frequentes


Quais os sintomas da infertilidade?
Na mulher que foi tratada com Quimio/Radio, pode haver ausência do ciclo menstrual ou ciclos irregulares.
Como é possível determinar a fertilidade de uma mulher?
Além da idade, podemos nos guiar por exames de sangue para avaliar seus hormônios e ultra-som ginecológico.
Quando inicia e quanto dura a infertilidade de um tratamento oncológico?
Começa com o tratamento quimioterápico, mas a fertilidade pode ser recuperada após o tratamento ou também ocorrer a infertilidade irreversível, tudo depende do tipo de tratamento e da duração.Converse com seu médico.
A partir de que idade se pode congelar óvulos/tecido ovariano?
Pode-se congelar óvulos e tecidos ovárianos após o início do ciclo menstrual.
Quanto dura a amostra de tecido ovariano ou os óvulos criopreservados?
Podem permanecer congelados por anos sem perder sua qualidade.
É seguro o uso de oócitos ou tecidos ovarianos criopreservados para um tratamento de reprodução assistida?
Hoje em dia, a utilização de óvulos congelados é segura e sua eficiência é amplamente comprovada. A utilização de tecidos ovarianos é contra-indicada em casos de leucemias.
Por tanto, ao receber o diagnóstico de câncer, seja racional, é uma situação transitória e você tem todas as condições de ter uma vida normal após o tratamento!

Converse com seu médico!