terça-feira, 9 de abril de 2013

FORMAS DE DIAGNOSTICAR O CA DE MAMA - PARTE 1



A Organização Mundial da Saúde estima que, por ano, ocorram mais de 1.050.000 casos novos de câncer de mama em todo o mundo, o que o torna o câncer mais comum entre as mulheres. No Brasil, não tem sido diferente. Informações processadas pelos Registros de Câncer de Base Populacional, disponíveis para 16 cidades brasileiras, mostram que na década de 90, este foi o 
câncer mais freqüente no país. As maiores taxas de incidência foram observadas em São Paulo, no Distrito Federal e em Porto Alegre.

Frente às limitações práticas para a implementação, junto à população, de estratégias efetivas para a prevenção do câncer de mama, as intervenções, do ponto de vista da Saúde Pública, passam a ser direcionadas a sua detecção precoce, com a garantia de recursos diagnósticos adequados e tratamento oportuno. 

São definidos como grupos populacionais com risco elevado para o desenvolvimento do câncer de mama:

- Mulheres com história familiar de pelo menos um parente de primeiro grau 
(mãe, irmã ou filha) com diagnóstico de câncer de mama, abaixo dos 50 anos de 
idade;
- Mulheres com história familiar de pelo menos um parente de primeiro grau 
(mãe, irmã ou filha) com diagnóstico de câncer de mama bilateral ou câncer de 
ovário, em qualquer faixa etária;
- Mulheres com história familiar de câncer de mama masculino;
- Mulheres com diagnóstico histopatológico de lesão mamária proliferativa com 
atipia ou neoplasia lobular in situ.

Fique de olho!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário