segunda-feira, 27 de maio de 2013

E AGORA...O QUE MAIS VAI ACONTECER???



Realmente a Secretaria de Saúde esta nos testando!!!



Este ano estamos tendo varias emoções com as noticias que o governo tem nos dado! Ontem dia 27/05 a  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu a importação, a distribuição, o comércio, a divulgação e o uso em todo o país do remédio Anastrol 1 miligrama (mg), usado no tratamento contra o câncer de mama. A resolução foi publicada nesta segunda-feira no Diário Oficial da União. De acordo com o texto, a decisão foi tomada depois que a agência registrou o descumprimento de normas regulamentares no processo de fabricação do produto, o que provocou o indeferimento da renovação de registro do Anastrol 1 mg.

Mas vamos entender melhor:

Existem várias etapas durante o tratamento do câncer, entre elas a hormonioterapia.

A manipulação do sistema endócrino é um procedimento bem estabelecido para o tratamento de algumas neoplasias malignas hormoniossensíveis. Inicialmente utilizada no câncer de mama, a hormonioterapia foi sendo subseqüentemente aplicada a outros tumores que mostravam hormoniossensibilidade incontestável. Até há poucos anos, a hormonioterapia era baseada em critérios empíricos, resultando em esquemas terapêuticos de administração variável em dosagens e intervalos.

A próstata, a mama e o endométrio necessitam dos hormônios sexuais para seu crescimento e funcionamento. O câncer que se desenvolve a partir de células desses órgãos mantém certa dependência desses hormônios.

A hormonioterapia busca inibir o crescimento do câncer pela retirada do hormônio da circulação - chamada de 'privação' - ou pela introdução de uma substância com efeito contrário ao hormônio (antagonista).A hormônioterapia tem ação sistêmica, isso é, age no corpo todo, tendo assim como a quimio alguns efeitos colaterais.
O objetivo do tratamento hormonal é impedir que os estrógenos se liguem a seus receptores para atuar como fator de crescimento das células mamárias malignas. Essa estratégia pode envolver a supressão da atividade ovariana (antes da menopausa, a retirada cirúrgica dos ovários, ou o bloqueio da função ovariana com drogas, privando as células tumorais  do estimulo para multiplicar-se) e a modulação seletiva do receptor de estrógeno(são drogas que se ligam aos receptores de estrógeno situados no núcleo das células tumorais, impedindo que o estrógeno  o faça, agem como se ocupassem ou obstruíssem a fechadura de uma porta para impedir que a chave possa abri-la.Sendo estes aplicados na pré ou pós menopausa).

Alguns dos medicamentos mais utilizados na hormônioterapia são o tamoxifero e o anastrozol que ate então eram ambos distribuídos na rede pública.

E aí está nosso problema...

Vamos aguardar mais informações!


Nenhum comentário:

Postar um comentário