segunda-feira, 4 de novembro de 2013

CORRIDA PELA RECONSTRUÇÃO MAMARIA



Engraçado, hoje tomando medicação encontrei algumas amigas antigas na mesma situação, e uma nova moça, que tinha chegado agora, e com as mesmas indagações que nos já havíamos feito há algum tempo atrás.

E vi que as coisas não mudam muito a não ser de endereço!

Então...Se passam os dias para todas, uns melhores, outros nem tanto, mas estamos aqui!

Pode parecer delírio, mas eles estão mais simétricos..kkkkkkkkk.
Doe...as costas , o braço, o seio...Doe a alma, o espirito, ainda não me acostumei...

A gente cresce muito com as experiências. Me sinto ate uns centímetros mais alta depois da cirurgia, bem com certeza 500gr mais leve.

Mas bem...Tudo passa...
É...acho que os ventos estão mudando...rs...Tem algumas noticias boas por ai!


Agora começa uma outra corrida a da reconstrução!
Segundo noticias, as mulheres que forem submetidas à mastectomia em hospitais públicos devido ao câncer terão direito a uma cirurgia plástica gratuita de reconstrução mamária imediatamente depois da remoção de um ou de ambos os seios, segundo a lei.

A nova lei determina que, "caso existam condições técnicas", os hospitais públicos realizarão a reconstrução mamária "no mesmo tempo cirúrgico", ou seja, a operação de reparação plástica será realizada imediatamente depois da de extirpação da glândula.
"Caso a reconstrução imediata for impossível, a paciente será encaminhada a um acompanhamento e terá garantida a cirurgia no momento em que tenha as condições clínicas requeridas", acrescenta a norma.
A lei, aprovada em março pelo Congresso, entrou em vigor logo após ter sido sancionada.
A norma beneficiará mulheres com câncer de mama submetidas à mastectomia, muitas das quais não têm condições para custear uma cirurgia plástica reparadora e, segundo diferentes estudos, passam a desenvolver problemas psicológicos por causa da extirpação. (e nós sabemos que isto é fato!)
A lei determina que a cirurgia reparadora seja realizada nos dois seios e que garanta a simetria e a reconstrução de auréolas e mamilos.
Mas o pior não é isso, a legislação brasileira já garantia às mulheres o direito à cirurgia reparadora após a mastectomia, mas não determinava prazos.
Bem como este não é o meu caso, pois fiz minha mastec antes desta lei, terei que dar umas voltinhas por ai ate conseguir chegar lá! Mas nada que um pouquinho de paciência não resolva... Pelo SUS, terei que me dirigir a uma Unidade Basica de Saude e solicitar o encaminhamento para unidade especializada em cirurgia de reconstrução mamaria, detalhe...são apenas 128 no país inteiro, acreditem!!!

Aí entramos na fila que hoje, pelo menos aqui,é de aproximadamente 2 anos. Então vamos lá! Com o tempo a gente perde os medos né, ganha prudência. Enquanto isso estamos ai, aproximando amigos, afastando o que sobra,tentando mudar a visão das pessoas em relação as mutilações...

E os olhares vão continuar curiosos ... E os comentários piedosos... Digamos que o que mais machuca não é o corte, nem a perda e sim a forma como as pessoas tratam o assunto...
Precisamos de informação para poder mudar os fatos. E esse é um direito de todo sobrevivente do câncer, é nosso resgate da feminilidade e da autoestima, pois a vida nos deu uma nova chance, nada mais justo do que fazermos valer e diminuirmos nossas dores!







Nenhum comentário:

Postar um comentário