terça-feira, 20 de maio de 2014

QUIMIO, OBRIGADA E TCHAU!



E um dos dias mais esperados do ano chegou! Última quimioterapia com Docetaxel! O câncer que eu tive, não estava nem aí para os meus hormônios, ele preferia se ''alimentar'' de uma deliciosa proteína que se chama HER2 - '' Human Epidermal growth factor Recepetor - type 2'' - que é responsável pelo crescimento das células epiteliais do nosso organismo. Falaremos melhor sobre isso, pois acabei de ver que não tem nenhum post sobre o HER2! Rsss... ''Não perca as cenas do próximo capítulo''! Rs...


Então, quem teve câncer de mama que responde para o HER2, tem que usar um medicamento que se chama Herceptin  -
  (http://projetocicatrizar.blogspot.com.br/2012/08/herceptin-na-semana-passada-tivemos.html#.U3tb2fldWSo) 
- por pelo menos um ano após os ciclos com o quimioterápico. No meu caso específico, terei que usar o Herceptin e o Perjeta (primo mais novo do herceptin - que terá um post só para ele também! rs...) por tempo indeterminado.

Então, só para entender melhor, meu esquema de tratamento nesse terceiro e último round - se Deus assim o permitir - era composto por três medicamentos - Docetaxel (que de doce não tem nada), e os dois anticorpos monoclonais - Herceptin (velho amigo conhecido) e Perjeta. E quem faz o estrago nesse caso é Docetaxel (quiomioterápico).  

A estratégia é que o Docetaxel aniquile as células doentes, pois é ele quem destrói toda e qualquer célula de reprodução rápida e os anticorpos impeçam a formação de novos tumores. E como, pela graça de Deus obtivemos cem porcento de resposta na eliminação do bandidinho, seguiremos com os anticorpos que servem para impedir novas tumorações.

Mas o marco é hoje, pois, depois que parar de tomar o Docetaxel, quase tudo volta ao normal. Sim, o cabelo volta a crescer, a sensação de cabeção desaparece, enfim os efeitos da "quimio" vão dando espaço para a vida normal... rs... 

Por isso essa noite passada, foi um agito só... Um turbilhão se sentimentos, ansiedade, medo, esperança, gratidão, etc, invadiu minha alma. Só quem vive uma quimioterapia sabe o que significa dizer: é a última! E aí inevitavelmente vemos um filme passar diante de nossos olhos... E o sentimento que fica é que tá passando, mesmo sabendo que tudo passa, saber que tem data para melhorar, ajuda a encarar a reta final.

Seis meses praticamente de luta intensa se passaram e sabemos que tem muito chão ainda pela frente, mas que com muita fé no coração, força e coragem seguiremos em frente, pois um guerreira não entrega de graça os pontos, certo?! Fácil chegar aqui? Absolutamente que não, náuseas, vômitos, dor, diarreia, o esôfago queimado, o pulmão chateado com a rádio e qt, perda de peso, fadiga, astenia. 




De onde vem a força? Primeiramente de Deus e da minha família, do amor da minha vida, dos meus familiares, dos amigos, da minha equipe de médicos, das equipes de saúde,  de todos que se importaram comigo e dos que me colocaram em suas orações! Fundamental esse carinho e cuidado para quem está passando pelo tratamento. 




Muito feliz com a extensão do prazo concedido para continuar nessa dimensão material da vida, onde viemos aprender a amar! Estou pronta para viver essa nova fase da vida! Assim, o que me resta dizer é OBRIGADA! 

sexta-feira, 16 de maio de 2014

DA SÉRIE: COMPARTILHANDO EMOÇÕES!



Parte II – Sobre a solidão


Após o início do tratamento de minha irmã mais velha, que passou por um câncer de Tireóide, percebi que ela  iniciou um processo de isolamento que poucos entendem, muitos vivenciam e todos percebem – mas ninguém fala. O fato é que o paciente com câncer sofre de uma doença extremamente solitária, o processo de estar com um problema tão serio e passar por cirurgias, medicamentos químicos e tratamentos em isolamento (como o caso da Tireóide, que o paciente precisa se isolar em uma câmara de chumbo por alguns dias, devido ao medicamento que é radioativo), faz com que a pessoa se sinta sozinha, esquecida, a dor é dela e de mais ninguém. O processo é ela quem vivencia. As conseqüências em sua rotina é ela quem sofre. A vida que fica pra depois é a vida dela. Andar lado a lado com essa solidão requer um pouco de paciência e muito, mas muito amor.


A família que acompanha pacientes em tratamento vivencia todos os processos, mas nossa rotina é minimamente afetada. Por mais que isso soe um tanto egoísta, na verdade, é importante para o paciente saber que as pessoas que o acompanham estão tocando suas vidas – isso dá a eles a sensação de não estarem atrapalhando ou ainda de não estarem incomodando. Nós sabemos que paralisaríamos nossas vidas pelo tempo que fosse necessário para cuidar daquela pessoa que amamos, mas você deve se perguntar: isso seria bom pra ela? Se o momento for de parar tudo e ficar por conta, faça. Mas se quem está se tratando está bem, deixe-o viver sua solidão. Ofereça, diariamente seu amor, seu ombro amigo, seus ouvidos, sua paciência, sua companhia, isso sim faz muita diferença. A diferença esta entre a solidão e a solitude: nossos amados que passam por tratamentos de câncer vivem a solidão da doença, mas dificilmente escolherão a solitude. As dicas são: programe passeios simples com a pessoa querida, converse sobre trivialidades, preencha os dias dele com mensagens de amor, se interesse por entender o câncer e sobretudo: tenha paciência pois só ele sabe o tamanho da carga que carrega. Nós não sabemos. 


Até a próxima!


Texto por: Rosângela Melo, Jornalista, Escritora, amiga/irmã do coração e mãe da Bia! ;)

Se você quiser compartilhar emoções aqui conosco, escreva para: cicatrizar@gmail.com e seja bem vinda (o)!

terça-feira, 13 de maio de 2014

QUIMIO, ÂNIMO E ROCK N ROLL




Já teve a sensação de olhar a sua volta e parecer que estás só? Essa frase parece algo retirado de algum filme 'melodramático', não é mesmo? Rs... Mas tenho certeza que a maioria das pessoas que passam pelo tratamento do câncer teve essa sensação em algum momento do percurso.
 
E isso não tem haver com nossa família ou amigos, até mesmo nossos companheiros e filhos, é um sentimento que parece que vem da alma... e que é perfeitamente normal, afinal o enfrentamento da doença é nosso, por mais que existam milhares de pessoas queridas ao nosso lado nos apoiando. O que é fundamental. Imagine se não houvesse?


 Acontece que tem dias, e isso eu penso que seja também um efeito colateral da quimio - pois afinal se ela atua em todo o nosso organismo, quem disse que ela iria deixar o sistema nervoso central de fora da festa?  - que tudo fica mais lento, não vemos muita graça em quase nada e temos uma sensação de solidão, pois todos estão em suas vidas normais, e a nossa não, a nossa vida ‘normal’ está em 'stand-by' até que consigamos equilibrar nossa saúde novamente.




Melancólico neh?! Mas o que fazer? Há quem curta uma dose de melancolia e que fará do edredom seu melhor aliado. Mas que tal aproveitar então e alugar uns filmes divertidos? E se seu estômago aceitar, chocolate é sempre o melhor amigo da alegria!



Costumo sempre me deixar levar nesses dias, pelas minhas seleções de música para animar... Claro que para uma ovelha negra (http://projetocicatrizar.blogspot.com.br/2014/03/ovelhas-negras.html#.U3Jp_nZtg2w), a sequência vai do punk ao clássico... Eu deveria dizer, que se você prefere outro gênero musical, vai lá, ligue o som e se entregue aos acordes, porém acho difícil ser feliz escutando alguns desses projetos de músicas por aí, mas como tento ser politicamente correta, vai lá... rs... Maaaaaaaaaas se você está mais para o lado das ovelhas negras, que tal tentar essa banda aí:








O que vale aqui é aquela sensação de que a vida é agora, que estamos sintonizados no presente, por mais que a situação seja nebulosa... e muitas vezes, sabemos que é, pois não estamos falando de uma gripe!


Precisamos entender que nossa mente não entende que o futuro é depois, daí vem o ditado ‘sofrer por antecedência’. Fácil neh?! Rssss.. Não mesmo!!! Mas para esses casos, quando não queremos pensar em nada, tem algumas musiquinhas que ajudam muito! Querem tentar? Rsss... Mas, não tenha dó do volume nesse caso!








Nesse momento, você deve estar se sentindo melhor, ou desistiu de ler e ouvir esse post! kkkkkkkkkkkkkk... De qualquer maneira, conseguimos te tirar do estado anterior e isso já me faz feliz, por que a vida é isso... movimento constante! E nós queremos que você, se esforce no sentindo de não acreditar nessa sensação de que tudo está lento e que você é alguém isolado no mundo! Por que não é! Logo o medicamento irá parar de agir no seu sistema nervoso central e você verá que a vida retomará o seu movimento normal frente aos seus olhos!

terça-feira, 6 de maio de 2014

SORRIR É PRECISO!


Sorrir é essencial. As vezes me pergunto se sabemos o que é felicidade. Infelizmente o ser humano hoje está meio perdido em seus valores e ideais, mas continuo acreditando na força do bem.

Há muito deixei de assistir televisão, principalmente noticiários, justamente porque as notícias que dão ibope são as mais sangrentas, todavia, não paramos para perceber que entramos nessa vibração ruim.

Quando comecei o primeiro tratamento contra o câncer, um dos médicos me disse, assista filmes e faça coisas que te dêem prazer e te faça sorrir e assim tenho tentado seguir durante o tratamento até hoje, nessa terceira batalha.

Quando estamos em quimio, pelo menos eu tenho essa impressão, parece que tudo é muito intenso, o barulho, as cores, as dores, as angústias... enfim, ainda me questiono sobre uma explicação melhor para esse fenômeno. O que acontece é que nossos prazeres, até os mais básicos são alterados e vivemos por esse curto espaço de tempo, com a vida em modo primário.
E nesse turbilhão de coisas, manter a cabecinha boa, livre de pensamentos negativos é uma tarefa árdua, pois além do medo do fantasma do câncer, ainda temos todos os medos que todos os seres humanos tem ao longo da vida. Mas claro que por nosso foco ser o tratamento, a vida 'normal' segue meio que em segundo plano.

Então, precisamos nos exercitar diariamente no ato de sorrir, seja por uma flor ou por um amor... Encontrar e buscar aquilo que nos faz bem, que nos faz sorrir, mesmo que isso pareça algo nebuloso em um primeiro momento.

O negócio é que a vida é um constante exercício. E quando aquele pensamento chato ficar insistindo em te deprimir, comece a cantar aquela música que você adora, sabe?! rs... Ou então ligue para uma amiga e vá falar sobre viagens! rs...

Vamos fazer uma corrente de sorrisos, pois assim, estamos ajudando o mundo a ser um lugar mais agradável para todos nós!

Beijokas!