terça-feira, 26 de agosto de 2014

$$ CÂNCER $$



Não  bastasse a agonia do diagnóstico e todo o complexo tratamento que sabemos que teremos que enfrentar, existe em muitos casos um outro complicador: o plano de saúde! Quando ele existe é claro.

Na condição em que vivemos em nosso pais, a grande maioria precisa ter um plano de saúde, pois em um momento de necessidade, pagar despesas médicas e hospitalares não é brincadeira. Ao receber o diagnóstico, o que encontramos: uma situação de emergência, certo? Mesmo com algumas leis regulamentando os planos, muitos ainda se debatem na hora de custear tratamentos de alto custo.

E essa angustia faz tão mal quanto o diagnóstico, porque te jogam no 'front' de batalha desarmado! Você deve estar se perguntando, mas e o SUS? Afinal existe uma propaganda incrível, de que podemos realizar, por exemplo, a mastectomia com reconstrução imediata, ou então, que o prazo para iniciar o tratamento é de sessenta dias após o diagnóstico.

Na televisão, isso é lindo, mas nas macas dos hospitais públicos a estória é muito diferente. Vocês sabem quanto tempo se leva para conseguir uma tomografia pelo SUS? A questão que fica é, até que se defina o diagnóstico, será que os sessenta dias após dele serão determinantes?

Mas do outro lado da moeda, muitas guerras são travadas contra os planos de saúde, pois muitos se negam a pagar, outros enrolam... enfim... um drama que só quem vive, sabe o que é estar com a sua vida nas mãos de quem muitas vezes tem apenas um coração burocrático.

E aí então, nos questionamos, o porque dos tratamentos contra o câncer serem tão caros. Qual é a lógica que permeia esse universo, onde quem realmente é prejudicado é quem já está sofrendo a agonia de não saber como será o dia de amanhã.

Precismos sim, nos instruir, e nos aproximar, discutir e fomentar ideias, para que a partir de uma união, proponhamos políticas públicas que tratem o câncer da maneira como deve ser, com seriedade e recursos e não apenas como marketing.


quinta-feira, 21 de agosto de 2014

VOLTANDO DE FÉRIAS! RS!

Sabe quando a saudade aperta no peito? Então, quando isso acontece a gente volta neh? Rsss...

Depois que o furacão passa é hora de tentar juntar os cacos, e isso leva um tempinho, quem aí nunca se trancou no quarto para não ter que falar com ninguém?

Deprimida? As vezes sim, e muitas vezes só necessidade de se refazer... Cada um com seu modo e tempo.

Férias, viajar, mudar os ares, tudo vale a pena para aumentar o gás para a retomada... Retomada de que mesmo? Nem lembro onde foi que parei!!! Aliás, parei?! Rssss....

Voltar para o cotidiano não é uma tarefa tão simples assim, fica um sentimento estranho que demoramos identificar, do tipo onde estou, ou para onde devo ir... Afinal, nos munimos com toda a energia para a batalha e agora quando relaxamos parece que falta energia.

Então é a hora de listarmos mais uma vez, aquilo que nos faz bem e recomeçar a viver naquilo que acreditamos ser a vida normal. Hora de voltar a trabalhar, malhar, hora de lembrar da dieta, enfim... Por que aí a energia vai voltando e nós fortalecemos de novo!

E nessa busca as vezes, precisamos nós perder um pouco, para poder nos achar novamente. Então, vamos lá!! Mãos a obra... Novos ares!? Novos projetos?! Os mesmos projetos?! Os mesmos ares?! Não importa, dê o seu toque pessoal e continuemos pra frente... Mas se tiver uma sugestão, escreve pra mim que adoro novidades!!!