quinta-feira, 30 de outubro de 2014

ATÉ ONDE VAI A SUA DOR?


Até onde vai a dor de uma pessoa? Hoje aqui em Goiás, veiculou uma notícia de que uma mulher portadora de câncer de mama, arrancou com uma tesoura o próprio seio!¹ Na reportagem, explicaram que ela, além do câncer no seio, enfrenta também uma depressão severa e que viu na mutilação uma solução, pois a ideia era sangrar até morrer.


Fora a agonia de se imaginar a cena, precisamos aprofundar nossa leitura do fato, para colocarmos para fora o preconceito que vive escondido em nós! Nesse caso em duas frentes, depressão e câncer.


Infelizmente ainda escuto vez ou outra, que fulano ou fulana, que tem tudo na vida, ainda se dá o direito de ficar triste, que depressão é frescura. Precisamos parar de perpetuar conteúdos prontos, que nos são ofertados todos os dias e buscar conhecer as lutas de verdade.


Depressão não é frescura! É uma doença e muito séria, que leva várias pessoas a cometer suicídio! Existe um processo químico que dificulta qualquer reação daquele que sofre dessa tristeza muitas vezes inexplicável. 

E tem também outra questão, quem disse que ter 'tudo' é sinônimo de felicidade? Não há nesse planeta, alguém que não tenha um problema, ou uma aflição qualquer, mesmo que seja uma coisa pela sua própria falta de aceitação.


E a parceria entre o câncer e a depressão é antiga, tanto que muitos hospitais, já contam com equipes multi-diciplinares, nas quais, um psicólogo é figura indispensável. No caso aqui chamamos esse profissional de psico-oncologista. 


E não é coisa de 'doido' fazer terapia não! É coisa de quem já saiu da ignorância o suficiente para entender que há momentos na vida em que precisamos, sim de ajuda especializada para enfrentr os dissabores da vida.


No caso dessa mulher aqui de Goiânia, as dores a levaram a procurar assistência médica, o que salvou sua vida. Agora o que espero e que ela tenha toda a assistência para lidar com as dores emocionais que a levaram a cometer um ato tão bárbaro contra si.

Então o convite que fica aqui é para a reflexão, aquela que te ajudará a se livrar dos jargões diários e que te impede de ser muito mais SER HUMANO!



1- Veja reportagem na integra em: http://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/setor-morada-sol-mulher-que-mutilou-seio-em-goiania-sofre-de-depressao-e-tem-cancer-de-mama-19283/






segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O CAMINHAR.

Com o passar do tempo e com o calejar da luta, algumas coisas vão ficando tão para trás, que fica até difícil de entender certos medos e anseios de quem está começando a caminhada. E esses dias identifiquei o quão casca grossa eu estou ficado! Rs...

Nessa minha caminhada muitas pessoas vem e vão. Me entristeço sempre com um novo diagnóstico que chega até mim, mas sempre agradeço a Deus pela oportunidade de alguma sorte, poder auxiliar. Afinal é para isso que o Cicatrizar existe!

E um desses momentos  me fez ver quanta coisa já passei até aqui e o tanto que já me despojei de conceitos e pré-conceitos. Me vi frente a necessidade de pela primeira, vez dar a má notícia para uma amiga. Por saber o preço da angústia  e já ser quase uma oncologista prática, quando ela me mandou a mensagem com o resultado de seu exame, eu não tive dúvidas... mas uma guerreira para o time! Mas certamente que tomei a liberdade de ligar para o meu amigo/médico e confirmar a informação.

Era sábado e marcamos de encontrar no shopping. Tem coisas que não tem como serem ditas pelo telefone e eu pensava que seria melhor ela digerir aquela bomba no final de semana do que ficar na neura até o dia que o médico pudesse vê-la.

São sensações que não podemos descrever muito bem, pois acredito que todas que viveram isso, conseguem mergulhar de cabeça no sentimento, pois além da solidariedade sabemos o que é entrar nesse turbilhão e viver emoções tão fortes, que vão desde o entorpecimento até que a fé se instale e nos prepare para a guerra.

E lá estava eu, com lágrimas nos olhos, o coração apertado, mas como o firme propósito de ajudar minha amiga a começar a caminhar nessa estrada que eu conheço tão bem... Todo o cuidado e carinho que possamos ter não ameniza a dor de quem recebe a notícia. E aí o meu primeiro espanto, o medo estampado nos olhos e nas mãos tremulas. Já havia me esquecido de como é chocante ouvir essas sete letras: é câncer!

Falo tanto disso que parece que se tornou corriqueiro, minha fé é tão sólida que não dou muito valor a essa palavra... não que ela não me assuste e não me faça gelar a espinha a cada novo exame, mas não a vejo como o fim do mundo mais. 

No entanto, o primeiro contato com essa realidade parece um avalanche, uma avalanche de sentimentos.  Naturalmente a primeira pergunta sai: Porque meu Deus? Porque isso foi acontecer comigo? 

Como sempre digo, essa doença é muito democrática, não escolhe idade, cor, religião, camada social, nada, ela simplesmente vem e te mostra sua condição de mero mortal, passível de medo, dor e morte. Mas te abre a possibilidade de ver sua força, determinação, coragem e fé!

Nessa experiência pude ver como trabalhei bem minha aceitação, quando a sequência de perguntas chegou no ponto mais temido: "Vou ter que tirar minha mama?" Como já estou à seis anos de peito novo, respondo tranquilamente que talvez sim, mas que isso vai depender do bandido e de como o médico irá combate-lo... Mas uma vez o choro doído me trouxe de volta a realidade do que é tirar a mama. Principalmente para aquelas mulheres que ainda acalentam na alma o desejo de ser mãe e amamentar seus filhotes.

Me lembro do mecanismo de compensação, tática desenvolvida para sobrevivência e logo explico para a guerreira novata, que mesmo que isso ocorra, a área de cirurgia plástica nos dias de hoje faz verdadeiros milagres! Só que, algumas como eu mesma, que nunca havia pensado em uma cirurgia plástica, por amar os seus seios, levam um tempinho maior para reequilibrar a força dentro do mecanismo. Mas ele acontece e tanto que hoje só me lembro deles quando tento deitar de bruços e sinto um pouco de desconforto. Rs...

Terminamos nosso encontro com lágrimas nos olhos, sorriso nos lábios e a certeza de que Deus cuida de cada uma de nós, inclusive nos dando a oportunidade de aprendermos a nos aceitar, aceitar os revezes da vida, a ter paciência, coragem, fé e principalmente a amar, amar a nós mesmas e amar a vida!

E desejo que cada uma que teve que entrar nesse barco, receba do nosso Criador todas as armas para lutar e possa ao final da batalha sair transformada, assim como eu acredito que tenho saído das minhas, um ser humano cada vez melhor.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

TAMANHO NÃO É DOCUMENTO! MAMMAPRINT HÁ!





Um tumor não pode ser avaliado apenas pelo seu tamanho, mas principalmente por suas características. A principal informação que precisamos saber sobre o bandido é seu grau de agressividade em se multiplicar.

Para isso um dos maiores e mais antigos aliados dos médicos é um exame chamado imuno-histoquímica, no qual se descobre a expressão para hormônios e para a proteína HER2 - Leia mais sobre, no link: http://projetocicatrizar.blogspot.com.br/2014/06/her2-ha.html#.VDfhZfldUUQ, mas que vem ganhando amigos novos no combate ao câncer.

Sorte nossa que a medicina não pára de avançar e novos aliados estão chegando! Já ouviram falar em MAMMAPRINT? Não, não é uma impressora 3D para o cirurgião plástico reconstruir as mamas, o que seria genial também neh? rs. Fica a dica! rs.

O mammaprint é um dos mais novos exames de mapeamento genético que pode ser feito em alguns cânceres de mama e que determina se a mulher terá que passar ou não pelo tratamento quimioterápico. 

Só de abrir essa possibilidade, esse exame entra no rol dos mais desejados do planeta, afinal, como sempre digo, só quem passa pela selva quimioterápica sabe o que é! E ele funciona mais ou menos assim:






 Indicado para tumores ductais e lobulares infiltrantes, ou seja, que não estão mais em uma só região da mama e podem ter se espalhado para linfonodos próximos da mama.








O tecido canceroso é retirado em uma cirurgia, colocado em um bloco de parafina e enviado para laboratórios aptos a realizar o exame. Você deve estar pensando: então o bandido fica guardado? Sim!!! Ele fica lá nesse bloquinho para análises posteriores, caso seja necessário, então se já faz tempo que você fez a cirurgia provavelmente ainda é possível realizar o exame! 




- Cada teste estuda um número diferente de genes;


- Em geral, eles estão ligados à capacidade do bandido se multiplicar e se infiltrar em outros órgãos;

- Também podem ser analisados características como a reação do tumor à presença de hormônios femininos.




- O exame mostra qual é o perfil de risco do tumor;

- Se for agressivo o indicativo é de que a quimioterapia seja benéfica;

- E se não for agressivo, para que brincar de tomar quimioterapia, gente?! rs... Mas é isso mesmo, a quimio pode ser descartada nesse caso!






- Grande aliado do médico, pois as análises do tecido do tumor em microscópio  ou  mesmo o seu tamanho, podem não dar pistas de sua agressividade.





Mas como tudo na vida tem  um lado ruim, infelizmente toda essa maravilha da medicina tem um custo muito alto, ainda. O preço não está na internet, mas especula-se algo na ordem de onze/doze mil reais. Não é para qualquer um não neh? Infelizmente! 

Mas é importante que saibamos que ele existe, pois de alguma sorte, papai do céu está olhando por nós e que sendo da vontade Dele, logo estará acessível para toda população. Temos que acreditar e colocar na pauta das políticas públicas do país, pois os dois lados sairiam ganhando. O governo por economizar muito em medicamentos quimioterápicos fornecidos pelo SUS e a paciente que não precisaria ser submetida à quimioterapia com a segurança de estar 'curada'!
























terça-feira, 7 de outubro de 2014

NA HORA DE TIRAR UMAS CHAPAS!


Chegara outubro, três meses praticamente se passaram desde a última bolsinha de docetaxel. Somos agradecidas a ele, mas preferimos não ter que fazer uso desse medicamento nunca mais!

Nem todo mundo sofre com os sintomas adversos, mas algum desconforto ele sempre traz! E é claro que o que queremos é nossa saúde em plenitude. 

A vigilância depois que passamos pelo câncer de mama é constante, e geralmente a estratégia é fazer exames a cada três meses, depois seis e com o passar dos anos, uma vez ao ano. Ainda não consegui chegar nesse patamar de anual não, mas é uma meta! rs..

O fato é que aquela semana torturante chegou... Reviram a gente de ponta a cabeça, para que se houver qualquer bandido invasor, esse seja pego em flagrante! Dizer que não existe estresse é falácia! Todas ficamos com a pulga atrás da orelha. Afinal, como diz o ditado: "gato escaldado tem medo até de água fria!"

Na lista consta pet scam, ressonância de crânio e exame de sangue. Não é novidade para ninguém que o maior problema do câncer de mama, são as metástases que ele pode gerar, como a do fígado, pulmão e cérebro. Dá nervoso de só de pensar, neh?! rs...

Com alguns furinhos a mais no braço, tudo que queremos ouvir ao final do processo é que está tudo bem e que nosso jogo foi prorrogado por mais um período, com muita qualidade de vida. A medicina avançou muito e os exames são cada dia mais precisos.

Vocês já viram uma imagem de pet scam? É no mínimo sensacional! A gente tem a oportunidade de se conhecer por dentro! rs... Olha aí do lado! rs...

Nesse mês de outubro então, que temos uma campanha mundial a cerca da prevenção do câncer de mama, essas tecnologias ficam em evidência, pois fala-se muito em mamografia, ultrassonografia e por aí vai. O importante é que conheçamos nosso corpo e a qualquer sinal de mudança o médico seja consultado.

A vida é muito importante e deve ser defendida com toda a força, coragem e bom ânimo. Foi o que eu disse hoje ao me encontrar com uma companheira de luta, que saia cabisbaixa e chorosa da clínica. E na mesma angustia que ela está sei que tem muitas que hoje estão, então vamos fazer uma corrente de fé e otimismo, pois somos maior que o câncer, certo?!

E não deixe para amanhã para procurar o médico, porque você está com medo de perder os cabelos, e nem se sinta mal por isso, pois é natural, mas vá logo, para que o que você perca seja só os cabelos e temporariamente, se for necessário! 

E pra quem já está na chuva, calma que logo o sol volta a brilhar e quente! ;)