sexta-feira, 28 de novembro de 2014

CIÇA: Papo de Ambulatório.

E a Ciça dessa semana, esbanja amor, para todos nós que temos coração! ;)

E para quem quem saber, ou relembrar o que é Her 2, esse post sobre o Herceptin, traz uma ótima explicação:
 http://projetocicatrizar.blogspot.com.br/2012/11/terapia-alvo-parte-ii.html#.VHi0CjHF-bM

Com vocês: CIÇA





quinta-feira, 27 de novembro de 2014

DIA NACIONAL DE COMBATE AO CÂNCER

 Seguimos juntos por menos preconceito, mais amor, mais saúde, mais acesso à saúde e menos morte no Brasil por causa do câncer!



terça-feira, 25 de novembro de 2014

FELIZ COM CÂNCER?


Sempre estamos à busca da felicidade. Nem temos ao certo essa medida e quando passamos por algum evento estressante, parece que esse sentimento se esvai para longe da gente.

Mas em que consiste a felicidade se não no constante trabalho interior? Ser feliz não é uma questão de circunstância, de estarmos sozinhos ou acompanhados, porém de uma atitude comportamental em face as missões que viemos desempenhar aqui no planetinha! rs...

Tá certo que muitas vezes me pergunto, pra que escolhi uma tarefinha tão difícil, afinal duas mastec, três tratamentos completos não é qualquer coisa neh?! rs... Mas o fato é que não estamos aqui à passeio e a nosso principal objetivo aqui na Terra, é evoluir. E nesse aspecto o câncer é uma oportunidade... ooooo se é!

No entanto, por acreditarmos muitas vezes que nos cabe a responsabilidade pela felicidade dos outros, acabamos nos esquecendo de nós mesmas. Quantas mulheres já ouvi dizer que no mínimo sua vida era corrida demais porque tinha que cuidar dos filhos, do marido, da mãe, do pai.. enfim... e aí de repente teve que parar com tudo porque estava com câncer e tinha que se cuidar. Você leu bem a última palavra? SE CUIDAR!

Só que aí vivemos a vida do outro e deixamos as rédeas da nossa, deixando de lado nossas decisões e muitas vezes os caminhos que sonhamos outrora, construímos castelos no ar, sonhamos irrealidades, convertemos em mito a verdade e, por entre ilusões românticas, investimos toda a nossa felicidade em relacionamentos cheios de expectativa coloridas, condenando-nos sempre a decepções crônicas.

Quem aí que teve câncer, não tem uma estória dramática para contar? Mas ao invés de culpar o outro, devemos compreender que o nosso mundo seria mais repleto de momentos agradáveis ao invés de traumáticos, se compreendêssemos que o outro não é responsável pela insatisfação de nossa alma, uma vez que, ele não se comporta de acordo com os nossos planos e objetivos.

A felicidade baseia-se numa adaptação satisfatória à nossa vida social, familiar, psíquica e espiritual, bem como numa capacidade de ajustamento às diversas situações vivenciais. E é por isso que o câncer nos é tão caro, pois possibilita rever todos os nossos conceitos, relações, atitudes.

Então, aproveite o 'reset' que a quimio está te proporcionando para exercitar a felicidade, entendendo que ela não é a realização de todos os nosso desejos e sim a ideia de que podemos nos satisfazer como nossas reais possibilidades!


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

CIÇA em: Tatto!


Estreiando no Projeto Cicatrizar: CIÇA

A Ciça vai trazer sempre histórias sobre o câncer de mama, de maneira leve, divertida e meiga.

Nesse episódio, Ciça traz a questão da radioterapia. Quem passou pelo tratamento se lembra dos furinhos que são feitos com uma agulha e coloridos com tinta, sendo de uma maneira torta, uma tattuagem meio a moda primitiva... rs....
Essas marquinhas é para que o tratamento seja feito com precisão. 
Espero que gostem da Ciça, e se tiverem alguma sugestão de histórinhas é só encaminhar para cicatrizar@gmail.com.

Com vocês:

CIÇA



terça-feira, 18 de novembro de 2014

MEDO DE TER MEDO?


Como estabelecer uma relação saudável entre o medo e a esperança? 



O medo é uma sensação de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa. Essa reação também pode ser obtida, por algum estímulo mental, uma interpretação, imaginação ou crença que gera uma resposta no organismo, liberando hormônios (adrenalina e cortisol) preparando o individuo para lutar ou fugir.


A esperança é uma crença emocional na possibilidade de resultados positivos relacionados com circunstancias da vida pessoal. O sentido de crença deste sentimento o aproxima muito do significado de fé, uma vez que, acreditar que algo é possível mesmo quando há indicações do contrário.

Parece que ela, a Fé que é a liga, o bálsamo tranquilizante desse turbilhão de emoções que vem de presente junto com o diagnóstico. Olhar adiante e acreditar que a vida é maior e mais sábia deve ser a meta de todo paciente.

Mas nem sempre é assim, a ansiedade, faz com que tenhamos que exercitar diariamente nossa fé, pois tememos antecipadamente o encontro com a situação ou objeto que possa nos causar algum mal, nesse caso, o câncer. A gente acaba tendo medo até de ter medo! rs...

E esse medo, traz outros tantos medos, da quimioterapia, da radioterapia, das sequelas, do preconceito, do desamor, do abandono, da falta de perspectiva, da falta de trabalho... enfim... Mas paralelo a isso, temos a coragem, a determinação, a fé e a força necessária para seguir.


E a vida sábia que é, vai colocando as peças certas em nosso caminho, como anjos de luz, que nos acolhem, auxiliam, acompanham. Por isso, temos que exercitar em nosso coração, que mesmo que a noite seja sombria, o sol vai nascer no outro dia!

Vamos em frente!

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

CATETERZINHO AMIGO!

A primeira vez que ouvimos seu nome, sentimos um arrepio percorrer toda a espinha! Nem sabemos exatamente porque, mas temos uma verdadeira aversão a esse amigo novo que somos muitas vezes obrigadas a aturar!

Ele é colocado bem ao lado do peito, literalmente e ajuda e muito no tratamento quimioterápico, já sabem de quem estou falando?! rs... Sim, é ele, o CATÉTER!

O Porth Carth, conhecido informalmente como catéter, figura nos pesadelos de todo paciente oncológico, por ser um objeto estranho ao corpo que tem que ser implantado. Claro que isso é feito em uma pequena cirurgia, maaaaas, o nome já diz... cirurgia!

O catéter é colocado por um cirurgião vascular, o procedimento é simples e pode durar de 30 a 60 minutos. A vantagem é que ele permite uma maior segurança, pois diminui o risco de infecção, além de evitar o enfraquecimento das veias dos braços.

No entanto, atravessar essa ponte não é simples, existem estórias sinistras envolvendo esse nosso amigo... Conheço uma de uma paciente, que o 'rabinho' do catéter foi parar na entrada do coração e ela teve que fazer um cateterismo para retirar o bichinho de lá!

Já uso há cerca de quatro anos, e só coloquei porque não havia outra alternativa, pois os dois braços foram esvaziados (mastectomia com esvaziamento axilar), como vocês bem sabem, esquerda em 2008 e direita em 2010, na primeira recidiva. 

A coitada da médica que foi escolhida para me auxiliar no processo, passou por uma sabatina de mais de quarenta minutos com direito a exemplos! Rs... No dia seguinte a implantação dele, não se assuste, vai parecer que alguém te deu uma surra. Mas isso passa rápido e logo você se acostuma com a sua bolinha! 

Acreditem, é uma sábia e proveitosa decisão. Até para realizar alguns exames, que tem que ser com contraste ele pode ajudar. Não é muito bom colher sangue por ele, apesar de ser possível, mas existe risco de entupimento e claro que não queremos isso!

Certa feita, ainda sem o catéter, a veia liiiiinda que estava recebendo quimioterapia, rompeu, e tive um vazamento do medicamento no braço... Naquele dia aprendi que a quimio deve sempre estar no lugar certo, de tão forte e perigosa que pode ser. As enfermeiras correram para fazer a contenção e sem choro, nem vela, naquele dia levei várias agulhadas para conter a medicação e não permitisse que se espalhasse no braço, o que poderia causar uma série de reações indesejadas.

E pra quem está nessa chuva, não é difícil se molhar, por isso que o catéter significa muitas vezes, agulhadas a menos, traumas a menos, dor a menos... enfim... o custo benefício é bom, pode confiar! rs...

E antes que me perguntem, sim, pode praticar esportes, dormir de bruços, enfim... como diria meu médico: vida normal! Mas claro que sempre observando seu corpo e suas reações, pois isso aqui não é uma ciência exata. Eu, por exemplo, não gosto de dormir em cima dele, incomoda. No mais, estamos nos dando muito bem!  


quarta-feira, 5 de novembro de 2014

BOM ÂNIMO: SANTO REMÉDIO!



Quando tudo parece perdido, a gente acende aquela "lanterninha" do Batman neh? rs... Que bom seria se todos os problemas fossem solucionados por super heróis! Melhor ainda, que as soluções pudessem vir de fora de nós, como em um passe de mágica. Bastaria piscar os olhos e pronto, toda dor, angústia e mal-estar não estaria mais presentes!

Mas nem tudo são flores, no país das maravilhas! Manter o bom ânimo não é tarefa fácil, pelo contrário, é exercício nível "hard"! Acordar todos os dias e ter estampado em sua tela mental, essas seis letrinhas - câncer - é um convite a angústia!

E aí? O que fazer? Na sequência vem medo, insegurança, aiiiinnnn... Corre, liga o som! Lembra aquela música que você se acabava de dançar? Coloca ela... tente viajar no tempo e no espaço e deixe o som te embalar! Ler também é um santo remédio, o livro te absorve o pensamento e faz com que seu coração não perca o ritmo. E não se esqueça de respirar é claro!

E se você se parecer comigo, vamos conversar! Adoro conversar... trocar idéias, dividir experiências, parece que ameniza um pouco essa onda negativa. Precisamos entender que somos como antenas, emitimos e recebemos energias de todos os lados. Por isso é importante que nos sintonizemos com bons programas!

E o melhor deles sem dúvida é a reflexão e a oração. Não se prenda a conceitos ou dogmas, todas as portas levam à Deus, se você é Cristão, Budista, Xamanista, não importa, desde que você possa acessar essa divindade dentro de você e se manter conectado em uma saúde mental e emocional positiva.