segunda-feira, 10 de novembro de 2014

CATETERZINHO AMIGO!

A primeira vez que ouvimos seu nome, sentimos um arrepio percorrer toda a espinha! Nem sabemos exatamente porque, mas temos uma verdadeira aversão a esse amigo novo que somos muitas vezes obrigadas a aturar!

Ele é colocado bem ao lado do peito, literalmente e ajuda e muito no tratamento quimioterápico, já sabem de quem estou falando?! rs... Sim, é ele, o CATÉTER!

O Porth Carth, conhecido informalmente como catéter, figura nos pesadelos de todo paciente oncológico, por ser um objeto estranho ao corpo que tem que ser implantado. Claro que isso é feito em uma pequena cirurgia, maaaaas, o nome já diz... cirurgia!

O catéter é colocado por um cirurgião vascular, o procedimento é simples e pode durar de 30 a 60 minutos. A vantagem é que ele permite uma maior segurança, pois diminui o risco de infecção, além de evitar o enfraquecimento das veias dos braços.

No entanto, atravessar essa ponte não é simples, existem estórias sinistras envolvendo esse nosso amigo... Conheço uma de uma paciente, que o 'rabinho' do catéter foi parar na entrada do coração e ela teve que fazer um cateterismo para retirar o bichinho de lá!

Já uso há cerca de quatro anos, e só coloquei porque não havia outra alternativa, pois os dois braços foram esvaziados (mastectomia com esvaziamento axilar), como vocês bem sabem, esquerda em 2008 e direita em 2010, na primeira recidiva. 

A coitada da médica que foi escolhida para me auxiliar no processo, passou por uma sabatina de mais de quarenta minutos com direito a exemplos! Rs... No dia seguinte a implantação dele, não se assuste, vai parecer que alguém te deu uma surra. Mas isso passa rápido e logo você se acostuma com a sua bolinha! 

Acreditem, é uma sábia e proveitosa decisão. Até para realizar alguns exames, que tem que ser com contraste ele pode ajudar. Não é muito bom colher sangue por ele, apesar de ser possível, mas existe risco de entupimento e claro que não queremos isso!

Certa feita, ainda sem o catéter, a veia liiiiinda que estava recebendo quimioterapia, rompeu, e tive um vazamento do medicamento no braço... Naquele dia aprendi que a quimio deve sempre estar no lugar certo, de tão forte e perigosa que pode ser. As enfermeiras correram para fazer a contenção e sem choro, nem vela, naquele dia levei várias agulhadas para conter a medicação e não permitisse que se espalhasse no braço, o que poderia causar uma série de reações indesejadas.

E pra quem está nessa chuva, não é difícil se molhar, por isso que o catéter significa muitas vezes, agulhadas a menos, traumas a menos, dor a menos... enfim... o custo benefício é bom, pode confiar! rs...

E antes que me perguntem, sim, pode praticar esportes, dormir de bruços, enfim... como diria meu médico: vida normal! Mas claro que sempre observando seu corpo e suas reações, pois isso aqui não é uma ciência exata. Eu, por exemplo, não gosto de dormir em cima dele, incomoda. No mais, estamos nos dando muito bem!  


Nenhum comentário:

Postar um comentário