terça-feira, 18 de novembro de 2014

MEDO DE TER MEDO?


Como estabelecer uma relação saudável entre o medo e a esperança? 



O medo é uma sensação de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa. Essa reação também pode ser obtida, por algum estímulo mental, uma interpretação, imaginação ou crença que gera uma resposta no organismo, liberando hormônios (adrenalina e cortisol) preparando o individuo para lutar ou fugir.


A esperança é uma crença emocional na possibilidade de resultados positivos relacionados com circunstancias da vida pessoal. O sentido de crença deste sentimento o aproxima muito do significado de fé, uma vez que, acreditar que algo é possível mesmo quando há indicações do contrário.

Parece que ela, a Fé que é a liga, o bálsamo tranquilizante desse turbilhão de emoções que vem de presente junto com o diagnóstico. Olhar adiante e acreditar que a vida é maior e mais sábia deve ser a meta de todo paciente.

Mas nem sempre é assim, a ansiedade, faz com que tenhamos que exercitar diariamente nossa fé, pois tememos antecipadamente o encontro com a situação ou objeto que possa nos causar algum mal, nesse caso, o câncer. A gente acaba tendo medo até de ter medo! rs...

E esse medo, traz outros tantos medos, da quimioterapia, da radioterapia, das sequelas, do preconceito, do desamor, do abandono, da falta de perspectiva, da falta de trabalho... enfim... Mas paralelo a isso, temos a coragem, a determinação, a fé e a força necessária para seguir.


E a vida sábia que é, vai colocando as peças certas em nosso caminho, como anjos de luz, que nos acolhem, auxiliam, acompanham. Por isso, temos que exercitar em nosso coração, que mesmo que a noite seja sombria, o sol vai nascer no outro dia!

Vamos em frente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário