terça-feira, 27 de janeiro de 2015

A LUTA: ONDE ESTÁ A SOMBRA?

Sempre me encanto com a capacidade que temos enquanto seres humanos, de nos adaptar e transformar tudo à nossa volta de acordo com a nossa perspectiva. Claro que toda mudança de pensamento e comportamento exige gasto de energia, perdas e reconstruções. Por alguma razão tememos muito ter que sair de nossa zona de conforto e o câncer sabe melhor do que qualquer outra coisa arrancar a gente de lá!


Sempre dizemos da dificuldade de conviver com a sombra. Para quem já viveu a experiência, a possibilidade remota de ter que enfrentar quimio e radio mais uma vez soa como filme de terror, ou algo do gênero, mas acaba que ainda não há outra opção.

Lidar com o medo é algo que exige de nós muitas vezes coragem e ignorância. Não é uma questão de otimismo ou pessimismo, mas saber que existe um inimigo tão burro e forte nos leva a temer mesmo. Eu digo que ele é burro, porque o câncer destrói o seu hospedeiro e no caso de falência ele morre junto... samos disso neh? Mas ele é voraz, então a luta é sempre amiúde.

Mas porque estamos falando tudo isso? rs... As acho que estou sendo empírica demais, tentando passar para as pessoas as experiências vividas... Já foram tantas passagens, tantos sustos, tantas perdas, tantos ganhos que hoje uso lentes para a enxergar a vida tão diferentes das que eu usava quando tudo começão, há cerca de sete anos atrás.

Ainda tenho que guardar o medo no bolso muitas vezes e enfrentar situações que acreditem, poucas pessoas enfrentariam, mas hoje parece que tanta coisa perdeu o sentido... Sempre acalmei o coração na perspectiva de que enquanto o bandido voltasse como recidiva estávamos à salvo e nem ousava pensar se aparecesse uma metástase como seria... até que a vida te dá a tarefa de casa.. e aí, você tem que fazer!

Já foram três grandes batalhas, que vocês tem acompanhado por aqui. Agora estamos na iminência de mais uma. E mais uma vez, estamos dentro do turbilhão tentando equilibrar emoções, razão e sentimento, para equacionar as perdas, os ganhos e nos preparar para o front. Sim, parece que o bandido está aí, batendo de novo na porta. 

Se estou com medo? Não sei... ainda não tirei ele do bolso. rs... 

Meu médico pediu para vasculharem o pulmão, em busca de alguma coisa que responda porque temos uma águinha lá... metástase? Ainda não sabemos, mas estamos atrás do bandido. O procedimento... Ahhhh... corta daqui, coloca caninhos, costura, dreno... anestesia... 

Mas tem carinho, amigos, amor, amizade e muita oração... Porque é Ele que nos rege e sustenta a todos... 

Desejo que semana que vem tenhamos boas notícias para contar! Mas se formos para uma quarta batalha, acreditem... teremos muito mais estórias e experiências para contar!


terça-feira, 20 de janeiro de 2015

RAIVA EXISTE?

Acho que tem dias que a gente tem que desligar o auto controle.. Fazer de conta que tá rolando um surto e falar... falar... falar... 

Certamente que a gente tem que manter o pensamento positivo, que temos que tentar manter esperança e ficar conectados na energia positiva do universo, mas tem hora que dá uma vontadezinha de gritar! Sim... ela existe, a RAIVA!  E ela é real! Claro que não podemos ficar nutrindo ela, como se fosse nossa companheira de longa data... temos que deixá-la passar, mas puxa vida.. tem dia que a cama é a única saída!

Tenho acompanhado algumas parceiras de guerra e seus questionamentos tem me chamado á atenção, principalmente no tocante a gente ter que nutrir essa força colossal o tempo todo e de preferencia com um sorriso no rosto, achando ótimo, ter que ficar de hospital em hospital, levando agulhada, tomando contraste, sentindo dor, mal estar, cansaço, fadiga, falta de fome e alguns outros detalhes....


Por que quem tem câncer tem que ter fibra, tem que ser forte, tem que aguentar o tranco, afinal... é tudo tão simples... E aí vem o outro lado que ninguém pensa, se a sua conta bancária vai dar conta de resistir os rombos de um exame de sangue aqui, outra tomografia ali, procedimento de anestesia, instrumentador... Ah, e as suas contas não são perdoadas nesse período, você continua pagando suas obrigações e tem que ser em dia.

Mas afinal, porque a raiva neh? Raiva de não poder jogar tudo para o alto e levar uma vida normal! Vida normal não tem episódios de enfiar uma câmera dentro do seu pulmão para saber se existe rastro do maldito inimigo lá dentro não... vida normal, não é tomar corticóide para respirar não... vida normal... aliás... o que é mesmo vida normal?

Esses dias, vi em um post que a menina discutia o fato de não querer mais fazer tratamento, pois os efeitos da quimio e da radio já haviam sido devastadores até então e ela dizia simplesmente que queria paz... que não estava desistindo da luta, mas que também queria uma conciliação...com ela mesma... E aí fico pensando... o que é cura? Para quem é a cura? 
Mas aí a gente respira... respira de novo... e logo lembramos que ninguém pode fazer nada... a não ser rezar, respirar, pedir a Deus mais paciência, ter resignação, enfim... deixar a raiva passar... porque ela vai passar... ela tem que passar!

E lá no fundo, a gente vai sempre encontrar a esperança, a força e a coragem, mas não tentem nos impedir de nos livrar da raiva.. porque ela precisa passar... e como precisa!

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

DO LADO DO BEM!

Olhando pela janela do meu quarto, me perco nas folhas verdes do pé de limão... Os pensamentos estão nos últimos acontecimentos... Atentado em Paris, ser ou não ser Charlie Hebdo... Mundo islâmico, corrupção no Brasil, violência, estupros...

Chega vai ficando difícil de respirar. E aí, o celular acusa novas mensagens... uma amiga que acabou de fazer mastec, me dá a boa noticia de que a recuperação está indo bem... outra me conta que acabou de fazer o pet scam, mas que o bandido tá lá, firme... insistindo em sobreviver depois de seis ciclos de quimioterapia pesadas!

Mas insisto em buscar na memória, lembranças e fatos mais doces que ajudem a enfrentar a espera por dias melhores. Nesse ínterim, me lembro de Deus e de como o universo e o nosso planeta são tão lindos!

Tento encontrar aquele ponto onde as nuvens ficam cor-de-rosa, mas aí chega um post que denuncia estupros coletivos dentro de universidades. E aí a gente pergunta: como não se entristecer? Como não se deixar envolver por essa onda negativa de notícias?

Acredito que boa parte de nós, já ouvimos de nossos médicos que devemos manter a tristeza longe, eu cheguei a ser orientada a nem assistir muito drama... Afinal, a minha vida já é um neh? kkkkkkkkkk... Mas reflexões à parte, eu sou tão excepcional para escolher filmes, adoro comédias românticas, mas sempre que tento pegar uma ela se transforma não sei como em roteiros com muitas lágrimas! rs...

Mas voltando, porque será que nós enquanto seres humanos estamos perdendo cada vez mais o amor, o respeito e a compaixão? E como lidar, como ter esperança e ser positivo em um ambiente tão trevoso assim?

Cada um tem que encontrar seus meios, pois essa onda escura, parece nos querer arrastar junto com ela... e nós precisamos ver o sol brilhar, para termos um rumo onde mirar e almejar chegar... na luz, na felicidade, na saúde.... no amor!

Precisamos urgente, criar uma corrente do bem... Se alguém quiser, posso dar uma muda do pé de limão!






terça-feira, 6 de janeiro de 2015

AS SURPRESINHAS DO CAMINHO!





A vida de quem teve câncer é cheia de surpresas, umas com mais emoção e outras nem tanto...

Você acorda com algumas fisgadas no peito. Sim... no que você fez a mastectomia. Aí você pensa: mais uma surpresinha da rádio... Afinal depois do tratamento, a gente sempre joga a culpa nela! rs...

Algumas horas depois um mal estar faz você acreditar que pegou uma virose e aí você pensa: claro, a quimio destruiu minha imunidade, nunca mais serei a mesma! Paciência, vamos tomar mais água! rs...

Mas o negócio não melhora e depois de uns dias, a visita ao médico é inevitável. Mas o peito inchou e ficou vermelho, então melhor falar com o mastologista, antes que o negócio exploda neh?! Resultado: uma inflamação na mama. Lógico que nesse momento, a nuvem negra passa em cima da sua cabeça.

Em vários outros posts, falamos da difícil tarefa de conviver com a sombra. Porque é assim, o bandido pode chegar a qualquer momento, sem aviso prévio. E é claro que como o próprio ditado nos remete a ideia central: "gato escaldado tem medo de água fria".  

Acredito que quando resolvi nascer, fiz como os 'bugueiros' do nordeste brasileiro e pedi pra ter uma vida com emoção". Rsss...  Pois, é muito prodígio num corpinho só, certas coisas acontecerem! Aí, o jeito é viver uma tempestadezinha, até os exames poderem ser feitos, para entendermos o que houve com a prótese e porque ela resolveu chamar a atenção! Mas a dupla de antibióticos e antinflamatorios nesse caso, resolvem o problema. 

Mas, o fato real aqui é que temos que estar o tempo todo alertas com o nosso corpo, pois as alterações podem parecer coisas corriqueiras e nem sempre o são! E a agilidade é que garante a nossa qualidade de vida. 

É... eu sei que cansa esse estado de alerta o tempo todo! Eu também me canso e gostaria que nada disso tivesse acontecido. Mas aconteceu e agora o que quero fazer é andar para frente! E você, vem comigo nessa direção?