terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Químio, náuseas e vômitos




Tem gente que mal começou a quimioterapia e o estômago já começa a reclamar. Costumo brincar que eu nem preciso colocar na veia, só de ver as bolsinhas de soro, o meu amigo estômago já dá sinais do seu mau-humor. Rs... Outras pessoas abençoadas, nem sentem esse desconforto e seguem como se nada estivesse acontecendo. 

Resultado de imagem para náusea e vômitoNáusea é por definição a sensação de que se pode vomitar a qualquer momento, ou um mal-estar muito forte. Elas podem ser causadas pela cirurgia ou radioterapia também, mas a campeã de provocá-las é a quimioterapia, sem dúvida. 

Deixando as vilãs mais conhecidas e aceitas de lado, não podemos esquecer que o estresse e a ansiedade também são fatores que podem causar ou agravar as náuseas. Além de que nos mandam aumentar a quantidade de líquidos durante a quimioterapia, fazendo o estômago desentender o que estamos tentando fazer com ele! Rs...

Aí, você decidiu ir ao shopping, seus sentidos estão mais aguçados por causa da quimio, e aquela menina que adora perfume doce passa por você, você quase vê um algodão doce caminhando... E então a cena de comédia pastelão, não fosse o drama, está pronta! Você devolve todo o lanchinho básico de minutos atrás! 

O que geralmente causa o vômito - claro que depende de cada individuo - é o próprio tratamento, cheiros fortes, alimentos e cigarro. Por isso que comidas mais leves e mais naturais são mais indicadas, como evitar temperos fortes ou sobremesas muito doces.

Claro que seu médico vai mandar você tomar uns remedinhos para controlar as náuseas e o vômito, são os chamados antieméticos e eles vão ajudar. Mas temos também uns truques nas mangas para esse período turbulento da quimioterapia!

Logo após as refeições, procure relaxar em uma posição de 45º, respirando confortavelmente. Evite a ingestão de água na primeira meia hora, se for preciso chupe um gelo, que vai suprir essa necessidade. 

Evite cheiros fortes, como perfumes e produtos de limpeza. Se possível, evite também ficar por perto quando os alimentos estão sendo preparados, pois o drama já começa aí! rs... Paciência, calma, respiração e meditação ajudam a controlar as náuseas e o vômito, então mãos à obra!

Resultado de imagem para meditação

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

TERAPIA: COMO ELA PODE TE AJUDAR?


Uma coisa que sempre achei formidável durante os meus tratamentos foram os acompanhamentos multidisciplinares. Todos são importantes, nutrição, psicologia, fisioterapia... Mas em especial hoje quero falar do cuidado com o coração, com os sentimentos.

Nesse quesito, muitos ainda tem preconceito. Mas a psicologia aplicada à oncologia tem um papel fundamental, de tentar nos ajudar a aceitar o adoecer, controlar a ansiedade, lidar com as perdas e ressignificar os ganhos.

Recentemente fui convidada à participar de um grupo terapêutico, para pacientes oncológicos. Claro que aceitei e lá estou toda semana. Tenho mais três companheiros de experiência e quão rica tem sido!

Resultado de imagem para group therapyTivemos poucos encontros até aqui, mas já foi o suficiente para perceber como é importante ter alguém ali que vive as mesmas dificuldades que você e que está encarando tudo as vezes de uma maneira melhor. Ou então, que o outro veja como você leva tudo mais leve e passe a ressignificar sua própria maneira de superar a doença.

Como é rica a convivência humana, pautada na dor. Ali, todos estamos na mesma jangada em auto-mar, ainda sem saber para onde vamos efetivamente, mas todos com a mesma garra de voltar a pisar em terra firme.

E a terapia é para isso, te ajudar a conduzir essa jangada de volta à praia, com mais destemor, com mais fé, força, determinação, coragem, fé e esperança. Uma vez que entramos na guerra, o lance é usar todo o armamento disponível! E acreditem, a psicologia pode sim, fazer muito por você!

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

CÂNCER PARA INICIANTES



Recebeu o diagnóstico agora e ainda está tonta com o tanto de informação? Nós sabemos como é! Rs. Quando recebemos essa notícia, não temos noção de tudo que envolve esse universo de oncologia, mas com o tempo vamos aprendendo a lidar com tanta informação e surrealidade! rs...

Faz de conta que nunca falamos disso aqui e vamos falar de maneira bem simples. Com o diagnóstico do câncer, alguns tratamentos podem ser aventados, como cirurgia, quimioterapia, radioterapia, imunoterapia ou mesmo a combinação desses tratamentos. O que todos queremos é destruir as células cancerígenas. Todavia em sua grande maioria, as drogas, a radio e demais tratamentos não conseguem distinguir entre células sadias de células malvadas e fuzila todo mundo! Por isso tantos efeitos colaterais.

Temos que estar de olho nesses efeitos, por que podem interferir no tratamento e até mesmo se tornar um risco de vida para nós! Então, vamos listar alguns para a gente ficar olho:



  1. Com relação à alimentação:
  • perda de apetite;
  • perda/ganho de peso;
  • mucosite;
  • boca seca;
  • problemas gengivais e dentários;
  • mudanças no paladar e  no olfato;
  • náuseas e vômitos;
  • diarréia e constipação;
  • fadiga.
É claro que cada organismo é diferente e pode reagir de maneira diferente com cada tratamento. Mas seu médico precisa saber se alguns desses sintomas ficar recorrente durante o seu tratamento. 

No caso da quimio, preste sempre atenção no ciclo, pergunte para o seu médico em que dia do ciclo ela afetará mais seu sistema imunólogico, por exemplo e tente compensar, se alimentando melhor e evitando se expor.

Na radio, não se engane, os sintemas podem ser os mesmos. Ela parece mais inofensiva, mas não é, e requer os mesmos cuidados da quimio. 

O tratamento pode ser mais fácil ou mais difícil, dependendo também da sua cabeça, de como você encara tudo isso. Portanto, doses de bom humor, esperança e fé todos os dias te ajudarão a atravessar essa faze... Isso você também pode encontrar aqui! rs...





quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

RADIATION RECALL: Vamos falar de Radioterapia?

Vocês já ouviram falar de Radiation Recall? O nome é bacana neh? Parece uma concessionária que vai trocar as peças de um carro... Mas não... É mais uma das traquinagens da radioterapia!

Esse conceito começou a fazer parte do meu universo nessa semana. Então resolvi ler a respeito para gente entender melhor do que se trata. Primeiro precisamos ter em mente que radioterapia é um tratamento muito invasivo que parece inofensivo. Mas acreditem, não é! 

Hoje depois de três baterias de quimio e radio, eu posso dizer que meus piores momentos foram em decorrência da radio e não da quimio. Não que a quimio não tenha seu papel em nossos pesadelos, mas ela vem, mostra a cara e depois vai embora. Pode até ser que demore aí uns dois anos, mas vai.

A radio não! Ela vem para ficar, e uma vez feito radioterapia ela ficará circulante no organismo para sempre. Estamos falando de radiação, então sabemos que não é qualquer coisa. Bem.. é aqui que começamos a entender a história do recall.

Pode-se ter uma radiation recall, pouco tempo ou anos após o término do tratamento. Isso significa que podemos ter um processo inflamatório em decorrência da ação da radiação que está circulante no organismo.

O mais comum são dermatites, com vermelhidão na pele, dor, inchaço, erupções, parecendo muitas vezes com uma queimadura solar. Mas, outras regiões podem ser afetadas, como a mucosa da boca, laringe, esôfago, estômago, pulmão, músculos e cérebro.

Legal neh? Rs... Histórias mirabolantes para uma doença maluca com sobreviventes heróicos! E aí, claro que você vai me perguntar: E porque isso acontece? A verdade é que ainda não se sabe o que provoca esse retorno dos efeitos da radioterapia. 

Existem algumas teorias que tentam explicar, sendo uma delas defensora de que o uso combinado de radioterapia e quimioterapia poderia causar a radiation recall, incluindo alguns medicamentos na lista como:

  • Adriamycin (doxorubicina)
  • Taxotere (docetaxel)
  • Taxol (paclitaxel)
  • Gemzar (gemcitabine)
  • Xeloda (capecitabine)
E o tratamento é baseado no controle dos sintomas, até que o problema resolva por si mesmo... Humhum... Inacreditável neh? Mas ainda não tem muito o que fazer, a não ser usar paleativos. Corticóides e antinflamatórios poderão ser usados a critério médico. E claro, evitar o sol, afinal já existirá uma queimadura para lidar!

É importante saber que coisas assim podem acontecer, pois esse universo da radioterapia ainda está muito distante de todas nós. Assim que, se notar algo diferente, sempre... em qualquer situação ligue para seu médico, pois ele vai te ajudar a entender o que se passa com você!