quarta-feira, 15 de abril de 2015

NAS ASAS DA FÊNIX



Quando a gente pensa que já sabe muito, a vida ensina que na verdade ainda estamos no jardim da infância. Há cerca de sete anos, lutamos contra um câncer de mama, todos já sabem disso, já foram inúmeros exames, agulhadas, medicamentos, estresses, vitórias, lágrimas, raivas, alegrias, comemorações, vômitos... 

Já me sentia preparada para lidar com o bandido do jeito que fosse.

Em 2008, quando tudo começou tomei a decisão de viver e isso tem sido o norte de todas as batalhas. Houveram entre-guerras mais suaves, outros nem tanto, mas as batalhas sempre foram duras e vencemos todas até aqui com a graça de Deus!

De lá pra cá sempre me questionei muito sobre vários aspectos da vida. Muita coisa mudou e sei que hoje sou muito melhor, enquanto ser humano. Muito longe ainda de ir para o céu. rs... 

De dezembro para cá, voltamos a lutar, o bandido escondido, teimava em ser encontrado. Mas o alento veio em forma de medicamento, afinal, conheceria a tão sonhada TDM1, que nem o cabelo faz cair! Puts! É o paraíso! Fazer quimio e não ficar com estomago parecendo que se vive em uma montanha russa... 

Ahhhh certeza que essa tiro de letra e logo, logo o bandido já era... Maaaaaaaaaaaas, a vida tem que nos ensinar... E as lições são punks! Dentro da calmaria surgiu o caos, e estou conhecendo a realidade de outras tantas mulheres que tiveram que enterrar seus peitos!

Inflamação. Extrusão. Cirurgia para retirada das próteses, no meio da viagem.. Já foram dois ciclos de quimio. O que eu sinto? Ainda nada. Não me preparei para isso.  

Mas já tinha tomado uma decisão lembra? Quero ficar mais tempo no planetinha azul... então mais uma vez, que nem criança, seguro nas mãos de Jesus e me entrego na sabedoria daqueles que cuidam da minha saúde física.

Mas aquelas 'coisas' ficam reverberando na mente... e depois? e o que me faz mulher? terei vergonha? como vou encarar? não queria... mas é preciso... Sempre disse as minhas amigas mastectomizadas que não puderam reconstruir as mamas, que eu não entendia o que era ficar sem peito, pois pode parecer bobagem para quem não vive a situação...mas não é! Por outro lado é claro que tem gente que consegue processar isso mais rápido e são em vocês que estou tentando me espelhar...

Sei que vou me reinventar mais uma vez, colocando todo o amor na vida, naqueles que amo e em tudo que quero viver e realizar... E a fênix ressurgirá, linda como a consagrei em uma tatuagem nas costas. Que por sinal será parte de uma futura reconstrução se Deus permitir, pois para ter meus peitos de volta, teremos que 'rodar um retalho' das costas... acho q vou preferir cobrir eles com as asas da fênix! rs....


Um comentário:

  1. Sei bem do que vc está falando Ludmila. Fiz Transplante de Medula em 2010, acreditei que estava curada, até o início de 2014 quando os meus exames começaram a apresentar alterações mostrando que o Mieloma Múltiplo estava ativo. Decepção....
    Mas, sou como vc, QUERO VIVER. E quero tb te sugerir: VIVA, e tenha a esperança de que a cada dia novas descobertas e aprimoramento podem te dar uma alternativa de reconstrução que vai te surpreender. Força minha guerreira, estamos juntas nessa luta. Bs.

    ResponderExcluir